28 de março de 2010

Os anjos te levaram


Três anos sem você ...

O que tenho feito? O que aconteceu? Certamente você deve saber.
Mas gostaria de lembrar hoje algumas coisas do passado.
Não posso ser chamada de filha "perfeita", mas sei que fiz o melhor que pude.
Quando criança não aprontava muito, não tirava notas baixas, não repetia de ano e quase nunca reclamava pela falta de brinquedos e doces. O que não tinha coragem de falar, apesar de demonstrar, era falta de seus carinhos.
Sempre fui muito grudada em você, não somente por ser a caçula de seus sete filhos, mas também por ter nascido com essa ânsia de ser amada e de ter atenção.
Mesmo quando cresci mais e virei "aborrecente", não desgrudei da barra de sua saia e íamos para todos os lugares juntas. Visitas à parentes, compras no mercado ...
Depois eu cresci mais um pouco e comecei a namorar e a sair. Você, claro, como uma genitora preocupada não queria que eu namorasse e muito menos que saísse. Afinal, o que é para uma mãe ver que seus filhos estão crescendo e começando a viver experiências novas?
E eu como todos os filhos, não entendia isso. Achava que era excesso de implicância e por várias vezes não acatei o que me pediu.
Depois de uns anos, a escola terminou, o namoro também e passei para fase de começar a trabalhar e a ter meu próprio dinheiro. Você até que gostou que sua filha estivesse caminhando com suas próprias pernas, mas nem por isso deixou de cuidar de mim e de minhas coisas.
Comida pronta e roupa lavada? Sempre teve. Eu é que nem sempre soube agradecer.
Porém, sei que sempre estive do seu lado naqueles momentos difíceis, entre idas e vindas de hospitais, internações, exames, compra de remédios e aflições. De minha parte.
Apesar de nunca demonstrar, eu sofri muito com tudo isso, mas chegou um dia em que o mundo virou e parecia que eu era sua mãe e não o contrário. E por várias vezes, quando ia dormir, ali do seu lado e na mesma cama, eu rezava pedindo aos anjos que te levassem.
Não podia ser egoísta pensando somente em meu sofrimento. O seu era maior. E se libertando desse mundo eu tinha certeza que você ia ficar melhor e iria ser feliz como talvez nunca tivesse sido.
Por isso sua partida não me causou muita surpresa e eu consegui suportar. Foi difícil, claro que foi, mesmo para mim, que acredito em lugares maravilhosos para se estar após a morte e em reencontros.
Hoje, três anos depois, eu consigo ver que amadureci mais.
Sofri, fiz e refiz promessas, conheci pessoas, trabalhei, em um, em dois empregos, voltei a estudar, entrei na faculdade, chorei, sonhei, fiz planos, sorri ...
Posso dizer que me acostumei com a sua falta, mas sei que nunca entrarei naquela casa sem me lembrar de você. E aquela casa não é a mesma sem você. E sempre que eu rezo, meus primeiros pensamentos são para ti.
E apesar de nunca ter te falado "eu te amo", e ter me arrependido amargamente por isso quando descobri que era tarde demais, sei que você consegue ver em minha alma todo esse amor.
E nem sempre precisamos de palavras para demonstrar o que sentimos. Bastam os gestos.

Espero do fundo do meu coração que você esteja aproveitando sua viagem pelo paraíso. E se não voltar logo, me espere, que um dia eu irei ao seu encontro.


"Dez anos passaram, cresceram meus irmãos
E os anjos levaram minha mãe pelas mãos
Chorei, meu pai disse: 'Boa Sorte'
Com a mão no meu ombro
Em seu leito de morte"



Letícia Iambasso

5 comentários:

Anônimo disse...

muito bom, na nossa vida pessoas vem e vão e o mais marcante é viver o melhor possivel destas pessoas.

Roberto Reis disse...

Muito lindo e emocionante seu texto!
Bistei seu perfil e vi que vc gosta muito de musica, por isso vim deixar um convite para vc vistar meu blog, que fala de musica, contrabaixo e N assuntos que se realcionam com essa arte tão divina.

http://falandubaixo.blogspot.com/

Um grande abraço!

Rudson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rudson disse...

Pois é ,O tempo passa, Ficam as Lembranças ,recordaçoes, e fotos na mente. Mas um verdadeiro amor nunca Sairá do Coraçao.


Adorei teu texto.

Carol disse...

Ai Lê...assim não dá p/ segurar as lágrimas! Você é muito foda! bjs