30 de dezembro de 2009

O fim ....

O fim se aproxima, mas o que será o fim?
Ele existe? Podemos acreditar?
Se ninguém sabe onde tudo começou, também não pode saber quando tudo irá terminar!
Ás vezes penso que viverei para sempre e este "fim" nunca chegará.
O que posso esperar do último capítulo? Ele realmente acontecerá?
Minha vida não pode ser comparada a uma novela, pois não vi o começo, não sei quando é o meio e nem imagino se terá um final.
Terei que passar pelas mesmas oportunidades de crescimento espiritual, com os mesmos tipos de pessoas, lugares, trabalhos .... e quando serei recompensada?
Haverá um final feliz, como nos últimos capítulos das novelas, aonde a mocinha vence o vilão e se casa com o mocinho da história? Isso existe?
Qual será o meu final? Feliz ou triste?


Opa, mas espere aí ... EXISTE FIM PARA ISSO????


Letícia Iambasso

20 de dezembro de 2009

A Loucura de todos nós!

O que é louco? O que é mente sã? A maioria das pessoas é louca ou sã? E eu? Sou louca? Sã? Meio termo entre louca e sã? Ou meio desequilibrada?
Louco para mim é ... Estou já há meia hora pensando. Rabisquei um monte de possíveis conceitos e não defini nada. Pensei em buscar a definição exata no dicionário Aurélio, mas seria loucura me definir pela definição alheia.
E foi nesse exato momento que eu defini a minha definição de louco. Louco é, dois pontos, quem segue as regras sociais. Quem olha no dicionário para ver qual a definição das coisas. É quem aprende uma lição da vida apenas pelo que lhe ensinaram, sem perguntar se aquilo é possível, se é certo, e o pior, sem tirar suas próprias conclusões.
Louco é quem se reprime, esconde suas vontades, não fala o que realmente pensa, não argumenta, não age como acha correto, não veste a roupa que quer e nem come nos horários em que realmente tem vontade. Tudo isso para se enquadrar nos papéis que a sociedade julga normais.
Não, louca eu não sou. Segundo a minha definição, não sou desequilibrada. Segundo minha auto-análise, eu diria que sou: criativa, ousada e incompreendida. E ponto final.
Uma vez, ouvi dizer que os loucos abrem os caminhos do mundo, e os que são sábios vão atrás.
E quanto à definição de normal?
Bem, normal é ... Depois de um minuto, eu já tinha estabelecido o meu conceito de nomar, com esta pergunta:
-" Ahhhhhh!!! Puta que o pariu! Quem é normal neste mundo? ... "
Eu sou assim ... naturalmente ... desequilibrada ... qual o problema?
Prazer em me conhecer ... não gostaram de mim, do que eu digo e do que eu faço? DANEM-SE! Eu não tenho pretensão nenhuma de agradar a todo mundo, e isso se chama autenticidade.



P.S: Esse texto não é de minha autoria, não lembro qual é a autora, porém me identifiquei muito com ele quando o li e achei a cópia que fiz dele hoje, misturada com coisas velhas.
Se alguém souber ou lembrar quem o escreveu, por favor me avise.

Letícia Iambasso

17 de dezembro de 2009

Choros e Lágrimas!!!

Às vezes choro porque estou triste.

Como também choro quando estou feliz.

Mas o que são as lágrimas?

O choro alivia a alma e as dores que sentimos.

Mas nem sempre podemos confiar em quem vêm chorar suas dores a nós, pois existem pessoas que conseguem transformar esse momento de consolo em uma arma para conseguirem seus objetivos, nem sempre bons.

Dizem que é vergonhoso chorar na frente dos outros.

Por este motivo existem pessoas que escondem seus sentimentos, bloqueiam o que sentem para não passarem esta "vergonha".

Por este motivo hoje é mais importante a matéria que você possui do que os valores, as qualidades e o caráter que formam sua personalidade.

Amor, Empatia, Sinceridade, Honestidade, Dignidade
ou algo que foi inventado pela NOSSA sociedade e que nunca te levará a nenhum lugar?

O que você escolhe??

Poema: Meu choro!

Eu choro, e minhas lágrimas a rolar por minha face,

Como se toda a dor da minha alma,

Se dissolvesse por minhas entranhas!

Quanta dor em meu peito...

Meu lamento, é ouvido como o canto dos pássaros;

Meu choro solitário, por entre as paredes do meu quarto...

Meu canto mudo, em meu peito a naufragar,

O amor que dividiamos...

Então eu choro, sem ninguém ver!

Traçamos caminhos diferentes...

Novas jornadas sem razão de ser...

Novas diretrizes de nosso amor que findou!

Eu choro, sem você ver!Eu sofro por não te ter!

Eu morro por você!

Findo meu lamento, sem esperanças,

Meu choro, ainda preso na garganta...

Me faz adormecer!

(Poema de Adriana Mallet)

Letícia Iambasso