21 de março de 2009

Mesas de bares atrapalham pedestres na Avenida Paulista

Na região praticamente todos os bares utilizam o espaço nas calçadas

Andar nas calçadas de São Paulo sempre é um problema. Há buracos, pedras, degraus, e agora também mesas e cadeiras postas pelas lanchonetes, bares e afins, atrapalhando quem utiliza a calçada, ou seja, os pedestres. Na região da Avenida Paulista, principalmente á noite, quando a fiscalização é praticamente nula, os comerciantes aproveitam para ultrapassar o limite concedido pela prefeitura e praticamente utilizam-se de toda extensão da calçada.
A Subprefeitura de Pinheiros, responsável pela fiscalização nos endereços apontados pela reportagem, afirmou que os estabelecimentos só podem colocar mesas e cadeiras se tiverem um Termo de Permissão de Uso (TPU), expedido pela mesma. Segundo o gerente do Café Creme, Cláudio Lourenço, esta autorização existe e seu estabelecimento a possui, e mesmo que a não a tivesse, o Café sempre respeitou o limite de 1,10 m para utilização da calçada.
Os pedestres constataram uma faixa amarela demarcando o limite da calçada a ser utilizada, porém, segundo o gerente, foi colocada pela prefeitura, há aproximadamente 15 dias. O Café Creme, localizado no nº 807 da avenida, é o único que tem a faixa, entretanto, segundo a subprefeitura, apesar dos outros bares não terem a faixa, eles estão regulamentados com o TPU, mesmo assim a prioridade no passeio é do pedestre. A multa para quem não respeitar a metragem é de R$ 1847,00, e se o estabelecimento não regularizar a disposição dos equipamentos dentro de 30 dias, pode ter seu material removido pela prefeitura.
Para os pedestres, a situação é desconfortável: “Sou cliente de lanchonetes e bares, porém prefiro sentar dentro do bar pela segurança e por privacidade. Como pedestre acho um inconveniente desviar das mesas, muitas vezes coloco a minha vida em risco, desviando e indo para a guia ou até mesmo para rua, podendo ser atropelada” reclama a estudante Dora Cristina Coelho. E ela ainda sugere: “Os comerciantes poderiam usar o bom senso, se for necessário utilizar uma determinada área da calçada, que não seja em toda sua extensão, e se o movimento de clientes aumentarem, realizar uma reforma para acomodar todos os clientes sem precisar incomodar os pedestres.”
Já o pedestre Jean Nascimento, não se incomoda em ter que desviar das mesas nas calçadas por já estar acostumado, pois mora na região “Se todos os comércios respeitarem o espaço autorizado pela prefeitura, não haverá reclamações e todos poderão utilizar com cidadania as calçadas.”
Se depender da prefeitura, a acessibilidade que é uma das principais preocupações será rigorosamente garantida a pedestres, já que desde 2008 foram feitas mais de 100 operações para apreender mesas e cadeiras irregulares.


Letícia Iambasso

Um comentário:

DoraCris disse...

Oi Leticia,

Foi ótima matéria, merece nota 10, pois é clara, objetiva e o assunto abordado é de extrema importância para todas as pessoas.

Parabéns e faça mais matérias, pois já sou sua fã. Quero autógrafos hein....

Ass. Dora Coelho.