24 de dezembro de 2010

Nossa canção

Ah, se eu soubesse lhe dizer o que eu sonhei ontem à noite,
Ninguém sabe fazer
O que você me faz
O que você consegue
Ninguém sabe fazer

Quando penso em alguém
Só penso em você
E sei que às vezes uso
Palavras repetidas

Como: É saudade, então
Mas o infinito é realmente
Um dos deuses mais lindos

Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do início ao fim
Descobri também que eu quero o mesmo que você
E todo mundo diz que você me completa e vice-versa,
Que nem feijão com arroz

E tudo começou com: Até penso duas vezes se você quiser ficar
Hoje, gosto de ver você dormir
Que nem criança com a boca aberta
The two of us so close to our own hearts

Porque é um estar-se preso por vontade,
É ferida que dói e não se sente,
É um contentamento descontente
E quando não estás aqui
Sinto falta de mim mesma

Estou pensando em casamento
Meu filho vai ter nome de santo. Quero o nome mais bonito
Um dia perfeito com as crianças na varanda
Você diz que eu sou perfeita e eu lhe respondo:
Venha, que o que vem é perfeição

E hoje em dia, como é que se diz: "Eu te amo."?
- Quero ficar só com você
E não importa quem inventou o amor!

2 comentários:

Sobre todas as partes de mim disse...

Era como se jogássemos Space Invaders e conquistássemos a cada momento mais do que nem sabíamos que existia. Era como a verdade crescendo como planta, mostrando a todos como é bom te amar. Quem inventou o amor? Não sei, mas sei que ele não sabia que pode existir um tão grande quanto o nosso. Porque eu te quero muito mais...

Neusa Maria de Azevedo disse...

Letícia!
Interessante um poema com fragmentos de músicas de Renato Russo, poderia até levar o nome dele num complemento do título. Bacana.

Convido você a conhecer meu blog de poemas:
Google: Poemas de Neusa Azevedo