23 de agosto de 2009

A Justiça tarda, mas não "FALHA"?

Diz o ditado deste título que a justiça pode demorar, porém sempre pune quem deveria punir.
No Brasil já há tantos casos que desmentem este pensamento que não caberiam neste espaço. Entre assassinatos, sonegações de impostos, formações de quadrilhas e estelionatos, mais um foi considerado inocente e trancado.
Trata-se da Máfia do Apito, escândalo da arbitragem no campenato brasileiro de 2005, aonde o ex-arbitro Edílson Pereira de Carvalho confessou manipular resultados de alguns jogos para um site que fazia esquema de apostas. Na época o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) decidiu anular e remarcar os 11 supostos jogos fraudados pela quadrilha, o que ajudou a definir o campeonato.
Na última quinta-feira (20), os desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo decidiram que apesar das confissões o Ministério Público não apresentou provas suficientes para provar o esquema e seus envolvidos.
O desembargador Fernando Miranda, último a votar, propôs a anulação do processo desde seu ínicio, levando em consideração somente seu ponto de vista técnico. Não importa para ele se o torcedor pagou um ingresso e assistiu a um jogo que não valeu.
Como também não importa quem foi o maior beneficiado com a anulação dos jogos.
Diferentemente de torcedora, hoje estou escrevendo como divulgadora da informação.
Pois se realmente não houve um crime, houve um campeão?

Letícia Iambasso

5 comentários:

Bruno Henrique disse...

Otimo texto LÊ. Mas diferentemente de voce, aqui escrevo como TORCEDOR mesmo. Foi uma verdadeira palhaçada todo aquele esquema de corrupção. E pra acabar de piorar tudo é ainda ajudar o timinho a ganhar roubado o campeonato...
BEijos

DoraCris disse...

Oieee, Letícia

òtima matéria.

bjos

Dora Cristina

Escreva mais, por favorrr.

Plush Doll disse...

Parabéns Girl.
Só pra variar o BRASIL ajudou o Curintiá ganhar rs.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Oi Letícia..

Acredito que a punição dele foi ficar fora do futebol e não considero o ato um crime, pois, trata-se de um esporte. O crime na minha opinião, foi a formação de quadrilha, com objetivo de fazer dinheiro. Também acho que qualquer resultado no fim do campeonato ficaria marcado, e nenhum time foi beneficiado ou prejudicado e sim foram vítimas de um esquema. Mas todo ano tem um campeão neh??!!

Abraços
Roger Viana